28 de junho de 2010

A essência da espera




Para sempre me ficou esse abraço.
Por via desse
cingir de corpo minha vida se mudou.
Depois desse
abraço trocou-se, no mundo,
o
fora pelo dentro.

Agora,
é dentro que tenho pele.
Agora, meus olhos se abrem apenas
para as
funduras da alma.

Nesse reverso, a poeira da rua
me suja é o coração.
Vou perdendo noção de mim,
vou desbrilhando.

E se eu
peço que ele regresse é para sua
mão peroleira me descobrir ainda
cintilosa por dentro.

Todo este tempo me
madreperolei,
em enfeitei de lembrança.

Mas o homem de minha paixão se foi
demorando tanto que receio me acontecer
como à ostra que vai engrossando tanto a casca
que morre dentro de sua própria prisão.


Mia Couto 

A Cantadeira
do livro Na Berma de Nenhuma Estrada


Agradeço a Ava, do blog
Minhas Vidas, pela idéia do título
.


Imagem: Thomas Northcut/GettyImages

26 comentários:

Ava disse...

Ainda estou aqui parada, depois de ler e reler seu poema.

"Por todo esse tempo em me madreperolei..."

O quanto a gente se guarda, se prepara, se enfeita a espera de nosso amor...

Esse poema é a essência dessa espera...


Beijos!

Rosinha disse...

poxa... sem palavras...lindoooooooo.


xero.

Shakti disse...

Dá que pensar...
bj

sonho disse...

Não te deixes morrer...se livre como um passaro voa bem alto...e um dia...quem sabe esse amor volta...
Beijo d'anjo

Nina Souza disse...

Oi querida, que bom receber sua visita... tão bom quanto vir aqui e receber um pouco de encanto nesses lindos posts!
lindo o texto, como sempre. :)
beijo grande!

Juliana Lira disse...

" Mas o homem de minha paixão se foi demorando tanto que receio me acontecer como à ostra que vai engrossando tanto a casca que morre dentro de sua própria prisão"

Ouço ecos no meu peito

Milhões de beijos

Ava disse...

Menina, menina...

Só tenho a gradecer seu carinho em achar que uma frase minha venha a ser o título de seu texto. Um texto que encanta e enfeitiça quem o lê.


Beijos e meu carinho,sempre....

A.S. disse...

Inês...

Belo poema!

A mais perfeita pérola é aquela em que a concha se abre no momento exacto!...

Beijosss
AL

Lis. disse...

É Inês...

Deve ser mesmo difícil fazer amor entre-ostras. Parece-me que é bem mais fácil o amor que acontece entre os porcos-espinhos, do que entre as ostras.

Em verdade elas são tidas como parasitas, e se camuflam entre as pedras onde há água. Já tive oportunidade de caçá-las quando ainda era pequeno, junto com grupos de caiçaras moradores do litoral sul de São Paulo, perto da Ilha Comprida, lugar chamado de Icapara, onde meu pai tinha um ranchinho de pesca apelidado carinhosamente por seus amigos de Rancho dos Bebuns.

Era bem divertido tirar as ostras encrustradas nas pedras com a ponta da faca, para depois abri-las e comê-las espremendo suco de limão sobre elas.

Mas, com toda certeza sou sincero em dizer que nunca gostei de comer aquele molúsculo. Preferia mesmo, eram os peixes fristos na hora, ao som do violão do meu primo.

Olhar as estrelas também fazia muito bem, ao lado da fogueira, enquanto a lua se escondia por entre as nuvens, adentrando a calada da noite.

Bons tempos...

UIFPW08 disse...

Seu vincular palavras me impossível não fazê-las me deixa com o coração em silêncio e que os olhos fechados
Eu gostaria de poder ler o que ela significa para ouvir o clamor do coração
meu tempo não se vê os seus olhos nunca Image
ondas do mar muito para levá-lo a sonhar

Baby disse...

Poema feito de palavras lindas e cintilantes, pois são como estrelas novas, sonhadas no coração de Mia Couto e por ti divulgadas.

Liiindo!

Beijos.

poetaeusou . . . disse...

*
Miacoutei-me,
entre Dois Rios !
,
conchinhas,
,
*

Sonhos e Devaneios disse...

mas a ostra guarda dentro de si a joia mais desejada que poucos terao acesso. Se voce se torna esta ostra rigida aquele que tiver paciencia em abri-la encontrara este tesouro.
beijos joao

Pelos caminhos da vida. disse...

Fiquei sem palavras Ines.

Feliz Metade do Ano!

Ótima tarde.

beijooo.

me, myself and I disse...

Olá, Inês!

Passei só para agradecer as simpáticas letras deixadas no meu cantinho.

bjt

Insana disse...

Belo texto.
uma coisa que ainda não aprendi é a esperar. Odeio isto.

Bjs
Insana

A.S. disse...

Vim reler-te, rever-te... e deixar um beijo!

AL

Secreta disse...

Bonito poema :)

VANUZA PANTALEÃO disse...

Oi, Inês!
Passando para revê-la depois das férias.
Poema incrivelmente lindo!
Excelente final de semana!!!Bjs

Pétala disse...

Nossa, que coisa mais linda, meu Deus!

A espera é isso mesmo. Uma ostra engrossando na sua própria casca.

Mia Couto é simplesmente maravihoso!

Parabéns por mais essa pérola, querida Inês!

Beijo,
Mel

jorge manuel brasil mesquita disse...

A escrita de Mia Couto (prosa e poesia) é a liguagem profunda e perfumada da África moçambicana.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 03/07/2010
etpluribusepitaphius.blogspot.com

Beautiful Stranger disse...

simplesmente o texto mais lindo que li nesta manha de domingo, parabens pelo bom gosto...


Beautiful Stranger
strangerbeautiful.blogspot.com

On The Rocks disse...

inês,

tem selinho para você no on the rocks.

bj

Luiz Caio disse...

Oi Inês, minha querida amiga,
Como vai?
Senti saudade de você e vim aqui te dar um abraço,repleto de carinho, de saudade, e da bonita amizade que lhe tenho.
Voei para novos horizontes, distantes, e acabei me distraindo pelo caminho, e assim, indo ainda mais adiante.Mas estou bem, por aí, cheio de saudades de todos, e de ti,minha amiga. E saiba que, principalmente por ti, meu voo será sempre circular!

TENHA UMA LINDA SEMANA!

BEIJOS.

Duarte disse...

... fruto duma deformação... neste caso bendita deformação.

Mia, grande como sempre nas suas interpretações.

Quero que me escrevas algo, quando?

Abraço-te, nesse desejo

Hod disse...

Olá querida Inês,
Só na espera se faz grande o fecundo,entre receptividade e espera,prefiro os dois. Aqui mais proximo denós na Ostra do universo a Lua é nossa pérola mais perfeita.

Beijos pra vc.