16 de julho de 2010

Trapezista



Era uma vez, mas eu me lembro como se fosse agora. Eu queria ser trapezista, minha paixão era o trapézio. Me atirava do alto na certeza que alguém segurava-me as mãos não me deixando cair. Era lindo, mas eu morria de medo, tinha medo de tudo quase: cinema, parque de diversão, de circo, ciganos, aquela gente encantada que chegava e seguia. Era disso que eu tinha medo. Do que não ficava para sempre.

Antônio Bivar
extraído do disco Drama 3º Ato, de Maria Bethânia



Ainda que a palavra "medo" se repita tantas vezes no texto
de uma forma concreta, a minha intenção ao publicá-lo,
refere-se ao medo que está nas entrelinhas.
Medo do fim. Da perda. Da separação. Do "nunca mais".
Medo que não se vê e não se toca, mas se (pres)sente.
Medo do que não fica para sempre.



Imagem: Dewitt Jones/Corbis




Oferecido pela Insana
do blog Gritos e Sussurros





32 comentários:

Gerly disse...

Acho que esse é um medo do qual todos compartilhamos.
Post belo e suave. Gostei!

Beijokas!

:o)

Lis. disse...

Bom dia, Inês...

Bonito e bem colocado o postado,
porque eu também sempre sofri
muito com a dor das separações.

Bom malabarismo.


ps. Irá acontecer na metade de agosto deste ano no Rio de Janeiro, um encontro de desvirtualização bloguistica que está sendo preparado.

A Isadora do www.tantoscaminhosisadora.blogspot.com é uma das organizadoras do evento. Isadoranardy@gmail.com

Se estiver interessada será um grande prazer da minha parte conhecê-la, uma vez que me farei presente nesse dia, juntamente com outros bloguistas.

Bjo.

Hod disse...

Querida Inês,
Medo enquanto emoção. Posicionamento quanto ao perigo, sinto quando o evento esta acontecendo. Já os menos ditos psicológicos esses já não existem mais.Como? 4 EQMs foram o suficiente.

Bom fim de semana com muitas bençãos.

Beijo pra vc.

Obtuso disse...

a Inês faz-me lembrar uma menina à beira mar olhando sempre para o fundo em busca de pérolas e corre depois para nós a mostrar o que encontra e nos deixa encantados.

Beijinhos

Milla disse...

Medo do que é passageiro.
Medo da vida.
Mas é isso que a vida requer: coragem, sempre.

Insana disse...

Ola
o selinho ficou lindo aqui em seu cantinho e muito merecido

bjs
Insana

Isadora disse...

Querida Inês muitas vezes sentimos muito medo do que nos é desconhecido!
Será um prazer se você puder participar do encontro! A ideia é mesmo que possa haver uma integração entre nós. Eu estarei lá e você terá minha atenção pode ter certeza. E se o Lis nos presentear com a ida, também.
Por favor, me passe o seu emai para que eu possa mantê-la informada, mesmo que nào seja possível você ir.
Um grande beijo

UIFPW08 disse...

Querida Inês
Estou aqui para vê-lo dançando nas asas do vento, como uma borboleta, como um beijo que voa entre o céu azul infinito.
Bejios meus

gabyshiffer disse...

Tenho medo de muitas coisas, mas não tenho ausência de coragem e sempre encaro tudo de frente...
Acho que sou trapezista tb
:)
Lindo post amiga
Q vc tenha um lindo Sábado
Beijos na alma!

Soraya Azevinho disse...

tinha saudades de passar por aqui :)
continua agradabilíssimo!

um carinho*
da sininho cujo blog passou a ser wei-u-wei como título, mudam apenas os nomes :D

Ariana disse...

Eu ainda tenho medo de tudo isso, creio que seja normal!
Belo texto!

bjos

Branca disse...

Mesmo que sigamos em frente, num momento ou outro da vida todos temos esse medo - de que nada dura/fica para sempre.

Bom domingo Inês e uma semana de muita paz!
Bjinho.

Rosinha disse...

Bela Inês, a maioria das vezes somos rocha, e quase nunca percebemos, (sinto pela sua irmã).

Seu texto me toca, lembra muito meu interior. Sempre tive esses medos. Sofro com o NUNCA MAIS, com o que NÃO FICA PARA SEMPRE. A vida tem disso né.

Bom domingo...boa semana.

Letícia disse...

Muito interessante o que escreveu. Visite o meu blog, e seu puder, divulgue-o =]
http://secretsdreamsporle.blogspot.com/

neli araujo disse...

Inês querida,

Já voltei dos Alpes Suiços, hehehe (Quem me dera, minha amiga!)

Linda, todos nós sentimos medos...

Alguns tão terríveis que até nos paralizam...

Outros nem tanto, mas necessários para que saibamos valorizar nossas "possíveis perdas"...

beijo, minha querida!

Neli

Magna Santos disse...

Inês, fiquei com uma vontade danada de ouvir isto na voz de Maria Bethânia. Ela sempre arrasa nas declamações de Fernando Pessoa, imagino também neste.
Creio que todos nós temos esse medo em diferentes graus. A partir do momento que chegamos a este mundo, já contamos com uma separação. Renunciar a um mundo quentinho, tranquilo, não é fácil para quem nasce...se formos contar todos os momentos, escrevemos um livro.
Bendito também o medo que nos proteje e nos avisa da segurança. O importante mesmo é conversar com ele para chegarmos a um acordo bom.
Lindo, pescadora. Mais uma vez, escolheste bem.
Beijos e muito obrigada pelo carinho de sempre.
Que Deus te abençoe.
Magna

Magna Santos disse...

Inês, mandei um email pra ti. Estou te avisando, pois como não tens o meu contato, pode ir parar na caixa de spam.
Beijo.
Magna

Enigma disse...

Belíssimo blog. Sentir medo é natural, infelizmente se (pre)sente. Vou add-la, milhões de beijos. Kiss!! Kiss!!

Dual disse...

Un saluto ed una notte serena
Gio'

Shakti disse...

Etapas de uma vida...

bj

Duarte disse...

Gostei de tudo mas sobre tudo da tua reflexão... que grande verdade!
Passei a chamar a essa situação de medo que tão bem descreves. Alguma vez senti esse medo expressado assim, mas, agora, já não, a vida é uma sequência de feitos em cadeia dos quais é impossível desviar-se... mesmo correndo riscos, vive intensamente, cada momento é exclusivo... uma pena deixar que passe.

Te abraço com amizade

poetaeusou . . . disse...

*
profundo post,
,
sem rede,
vou trapeziando,
no medo
que me encanta !
,
conchinhas, deixo,
,
*

me, myself and I disse...

Olá, Inês.

Todos temos esse medo e todos temos que viver com eles.
Mas sem pensar muito, certo?!

beijo

Victor Oliveira Mateus disse...

inês,

este texto é lindo! E tem algo da minha memória também.
Um beijo de amizade,

V.

Baby disse...

É isso mesmo: todos temos medo da perda, "do que não fica para sempre."

Mas que loucos nós somos, que nunca acreditamos que nada é para sempre! A não ser a certeza de que tudo é passageiro.
Seguremos o hoje, que o ontem já passou e o amanhã pode nem chegar a passar...

Um beijo de carinho.

Hod disse...

Olá querida Inês.
Hoje celebramos data significativa, a semente que nos une aqui neste universo!!
Onde o tempo não envelhece as lembranças de bons momentos...É memória.
Amigo é casa, calor e acolhimentos.

Feliz Dia do Amigo querida amiga,

Beijo pra ti.

Isadora disse...

Minha amiga Inês passo para deixar-lhe um beijo por hoje.

Caroline. disse...

Inês, que saudades que eu tava daqui "/
To sem net em casa e não trabalho mais na lan, ai fica dificil de visitar todos os blogs que gosto sahsausahas assim que voltar com a net la em casa, venho aqui mais vezes ok?
Espero que vc esteja bem.
Beijão =*

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Por mais estranho que pareça,
é este medo que nos
devolve o prazer da vida,
no abraço da família,
e no olhar dos amigos.
Medo de perder o que amamos,
e nos completa
de modo tão perfeito...

Alegrias plenas para ti.

Secreta disse...

O medo...sempre no nosso caminho...
Beijito.

Whispers disse...

Querida,
Acho que o medo pode nos atrapalhar a vida,mas tambem pode nos salvar algumas vezes.
Lindo teu post,como sempre !
Mil beijos
Rachel

A.S. disse...

Querida...

Pior que o medo é o medo de ter medo!
Para conquistar os sonhos temos que ser audazes!


Beijosss
AL