6 de outubro de 2008

Roda Viva














A gente tem que morrer tantas
vezes durante a vida
Que eu já tô ficando craque em ressurreição.
Bobeou eu tô morrendo.
...
Há dores que sinceramente eu não resolvo
sinceramente sucumbo
Há nós que não dissolvo e me torno moribundo de doer daquele corte do haver sangramento e forte
que vem no mesmo malote das coisas queridas
Vem dentro dos amores
dentro das perdas de coisas antes possuídas
dentro das alegrias havidas.
...
Há porradas que não tem saída
há um monte de "não era isso que eu queria"
...
Hoje, praticamente, eu morro quando quero:
às vezes só porque não foi um bom desfecho
ou porque eu não concordo
Ou uma bela puxada no tapete
ou porque eu mesma me enrolo.

Não dá outra: tiro o chinelo…
E dou uma morrida!
Não atendo telefone, campainha…
Fico aí camisolenta em estado de éter
nem zangada, nem histérica, nem puta da vida!
Tô nocauteada, tô morrida!

No Elevador de Deus

Google Imagens


95 comentários:

Jamille Lobato disse...

A dores que não passam e cicatrizam.
Mas a vida, sempre, continua.


Estou de casa nova, passa por lá!
Seu blog, com certeza, está nos meus favoritos.

http://jamillelobato.blogspot.com

Bjus

Mello disse...

Na vida é assim... aprendemos a renascer milhares de vezes! E morremos outras tantas. Com o tempo aprendemos o signigicado da palavra isolamento, isolar-se do mundo , simplemante, para recuperar energias... Os outros e as suas tolices às vezes cansam...

Adorei o poema !

Beijinhos, de afecto,

Graça Mello

Shakti disse...

Assim é feita a vida...

bjs

Camila disse...

Ainda bem que podemos renascer, né?!
Grande beijo

Ps. Adorei a escolha da imagem.

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia Inês!

Renascemos todos os dias.

Otima semana.

beijooo.

Só Eu disse...

Olá caudal de Dois Rios!
Escolhes milimetricamente os textos que publicas. Espero que o próximo seja de mares, ondas, azuis, paixões, amores e tantas outras coisas boas. Fico à espera.
Beijinhos

Tiago Soarez disse...

Inês!

Muito obrigado pela resposta! Imaginei mesmo que a música fosse do Tom, mas não lembrava o nome.

Sobre seu post, adorei! rs.

Eu morro direto, sempre que acho necessário. Quase todos os dias, Mas gosto mesmo é de acordar pra viver mais uma vez! rs

Bossa Nova Café - textos, música e arte!

Luiz Caio disse...

Oi! Como vai?
É como uma partida de damas,
ou um outro jogo,
no qual você vê que está perdida...
Não adianta se desgastar inultilmente indo até o final! Melhor mesmo é parar, e recomessar!

TENHA UM ÓTIMO INÍCIO DE SEMANA!
BEIJOSS.

Sonhos e Devaneios disse...

Durante nossa estadia a esta vida com certeza teremos de morrer muitas vezes para poder continuar a caminhada, só assim conseguiremos aliviar nossos fardos e evoluir...
beijos joao

Thiago disse...

e sempre morremos mais que ressuscitamos, porque cada retorno trás consigo um rastro qualquer da morte passada!

Ana Diniz disse...

São os nossos estados de espírito, não é Inês?

Encarnados ou desencarnados, perpassamos vários.


Beijos, minha linda!

Ana

Ilton Santana disse...

Amei o poema,
adorei a foto,

é isso ai... tá dificil... da uma morrida e depois ressurge com toda energia;

bjos
boa semana pra vc;

Ilton Santana disse...

lindo texto, foto incrivel;

tenha uma ótima semana.

Gerly disse...

Amei, amei! Adotei!
Ressuscitando mais fortes ainda, todo dia!
Bjoka!

Vivian disse...

...olá linda!

Elisa Lucinda sempre perfeita em tudo que escreve, e você generosa e sensível em seus posts, nos presenteia com esta maravilha de texto.


morri..
mas morri de felicidade em poder
estar passeando aqui na sua bela casa, tudo isso nunm clicar de mouse.

fui, mas volto.

bjsss, lindeza!

Márcia(clarinha) disse...

Eu andei morrida, agora renasci, estou vivida
[uau! isso vai virar post, rss]

Elisa é mulher com M maior!
lindo dia flor
beijos

Márcia(clarinha) disse...

Voltei flor, só pra dizer que realmente a poesia de Elisa me deu um clique pra novo post...
Obrigada
beijos querida

Zé Carlos disse...

Oi Inês querida, obrigado por teres vindo para um cafezinho...

Quantas vezes teremos que aprender a morrer e reviver??

Beijo grande do ZC

Zek disse...

Vale a pena morrer e levantar, se for para ter forças e recomeçar a andar... e com o mundo se alinhar!!

Bjs inês, lindo poema a Lucinda!!

~pi disse...

quase morta quase

viva

qua ] se



belo poema, denso, forte!!



beijo





~

Sammyra Santana disse...

nossa Inês... eu já morri tantas vezes nesta vida...
nem tinha parado pra pensar nisso mas esse poema da elisa lucinda deixou eu pensando...

Beijo

Baby disse...

è bom renascer cada manhã!

!!!É o milagre da vida!!!

Sentidos poemas os teus

Por isso e por mérito e amizade tomo a liberdade de repassar o “SELO PRÉMIO DARDOS” e convidar-te a continuar a caminhada.
Para mais pormenores visita a página BARLAVENTO

Dauri Batisti disse...

Muito bom. Muito bom mesmo. Tenho um poema sobre este mesmo tema.
Heim, te adicionei na minha lista de blogs. Pode ser?

Claudia disse...

Cada dia,é um novo dia...
Um novo amanhecer...
Um novo começar !

beijinhos

JIME disse...

"É preciso reviver o sonho e a certeza de que tudo pode mudar.
É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e apreender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe viver."
Beijos.

Confissões de Um Ego disse...

Obrigado pelo carinho...aqui me fez falta ...por isso mesmo...mesmo sem nos conhecer pessoalmente...mts pessoas daqui já sao parte da minha vida...estou sim de volta e logo melhor...assim sera...obrigado...bjokssss

Nanda Assis disse...

coisa li8nda demais.
adoro a leitura que tenho aqui.
e dor é dor né?

bjosss...

Nadezhda disse...

É diferente das coisas que leio por aqui. Achei amis simples e direto. E gostei muito ;)

Carla disse...

ter sete vidas como os gatos...e eliminar as vidas que nos consomem a alma!!!
amia tens um sel para ti no canto direito do meu blog, ficava contente se o aceitasses
beijos

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

É assim mesmo. mas podemos sempre começar de novo.
Estou feliz Marcelo me pediu em casamento lá no meu blog, imagine minha felicidade....
estou amando o mundo hoje.
beijos

Quase Trinta disse...

Mas não é que se for parar pra pensar estou bem assim, moro, renasço, com uma facilidade.
As coisas nem dói mas tanto como antes, as vezes dramatizo um pouco.
As vezes morro por puro capricho...
A vida é assim, estou aprendendo a dançar conforme a música que ela toca.

Marina disse...

Mas o renascimento é bem mais belo, quando se morre de coração aberto.

Abraço, linda! Lindo texto.

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Não curtia ela...mas adorei essa poesia!

poetaeusou . . . disse...

*
a morte
na ressureição da vida,
,
adorei o texto,
,
vida invivida . . .
,
maresias renascidas, deixo,
,
*

NAELA disse...

Linda que profundidade este post...a dor na entrega total de si mesmo!
Beijo terno

Márcia(clarinha) disse...

Oi flor querida, postei...
beijos de lindo dia

Deusa Odoyá disse...

Olá minha nova amiga.
Sempre estamos morrendo, para podermos ressuscitar com mais força , luz e resignação.
Cda dia em nossas vidas, é um novo aprendizado, um novo renascimento.
Beijos de muita paz e luz, amiga.

te aguardo em meu cantinho.

Regina Coeli.

paula barros disse...

Comecei a ler e a achar meio estranho, e até discordar e no final já estava me identificando e concordando.
As vezes é assim mesmo, morremos, nos enterramos, sucumbimos sem nem perceber. Quase um ensaio da própria morte, uma despedida...o bom é ressuscitar, renascer e esse poder também tenho.

Muito bom!

abraços

Juliana Lira disse...

Perfeito!!!

É mesmo assim ,morrendo e revivendo, ferindo e curando as dores que a vida passa e que passamos pela vida!
Sem sofrimento não há amadurecimento, sem dores não há transformação...

Linda tem selinho pra vc no meu blog,não sei se vc já tem ele,mas se tiver rebe a homenagem de novo pois vc merece.


Beijos Juliana

Duarte disse...

Não conhecia este poema. A imagem está bem lograda e muito acorde com o texto.

Nunca devemos entrar num estado assim...
É certo que a vida nem sempre nos sorri, mas de que nos serve que nos apodere a desolação? Lutar, sempre, até que nos venha a inspiração que nos leve ao êxito, à felicidade.

Desculpa a demora em contestar-te, mas escreveste-me num blog que não visito assiduamente, já que só sou colaborador.
Em Amigos de Portugal tens-me mais perto.

Um abraço

LP disse...

Por vezes gostaria que os outros também "morressem" e levassem, definitiamente, com eles todas as memórias...

Beijinhos*

Ane disse...

Nossa,já morri bastante na vida,ainda bem que sempre ressucitamos e mais fortes do que éramos.Um beijão!

Su disse...

gosteiiiiiiiiiiii de gostar


levo-o comigo....gentil.mente


jocas maradas..sempre

Three Love´s disse...

encantador,
e até engraçado de tão despojado o texto,
belíssima foto;

b.e.i.j.o.s.

mdsol disse...

Q. Inês:

Não conhecia a aotora nem o poema. Mas é um encantamento para mim descobrir estas formas de criar a linguagem, de criatividade com a língua, de tal modo quetudo assume uma grande dimensão lúduca... E as suas imagens estão a cada dia mais sugestivas!
Beijinhos do lado de cá!
:))

JADY*ALVES disse...

Olá Inês.

Às vezes é bom mesmo dar uma saída de cena e fazer de conta que morreu não é mesmo?

A gente sempre renasce mais forte.

Gostei da poesia e gostei da sua visita, volte que a casa é tua.

Abraços e carinhos.

Shadow disse...

Lindo!
Não tenho outra palavra!
Bjs,
Shadow

Camila :) disse...

eeu naum didriaa morrer na vidda como coloocou no começo uhhaah
e siim amadurecer com as caídas neh auhaauha


bejooo

Késia Maximiano disse...

As dores cicatrizam no momento certo.. Vale a pena esperar...
Bjs

Do Jeito Que Eu Sou disse...

eu querida Ines?
sou passaporte sem mala
com destino de nada!
uma morta que morre pq aprendeu a a viver.
Depois eu acordo bela
corto os cabelos
mudo a maquiagem
reinvento modelos
reencontro os amigos que fazem a velha e merecida
pergunta ao meu eu: "Onde cê tava? Tava sumida, morreu?"
rs.........é facinante morrer quando se aprende a ressucitar



bjussssss minha querida e doce Ines
amo esse texto, as melhores partes foi muito bem colocadas em teu post, linda imagem.......falou la dentro no meu coraçao

O Profeta disse...

Atravesso o céu em sonhos
Três aves do mar, três raios de sol, três punhais
Seguem-me apontados à solidão
Ah este vento que sopra nos brandais


Vem partilhar comigo uma história real



Mágico beijo

Thiago Ya'agob disse...

Bom dia, Inês!
Saudades... Sim! Saudades dos teus Dois Rios que se dividem em mais dois, quatro, seis. Rios que me alcançam na sequidão d’alma.
Inês,
estou um pouco enfadado com a escrita. Amo escrever, mas falta-me inspiração necessária.
É como se me retirassem o ar e ofuscassem a luz que me alumia.
Mas cá estou eu, sendo renovado em tuas águas. E bebo. Bebo cada gotícula que esse manancial me proporciona.
Água simboliza vida. E como eu gosto (sou apaixonado) pelos textos bíblicos aonde a água é exemplificada como fonte de vida – Rios de Águas Vivas fluirão do teu ventre! Isso é forte, mais forte que a morte.
E eu tenho morrido também. Morro dia a dia. Faz-se necessário negar-me. Negar-me no sentido bom. Não é confusão, é ressurreição na alma, corpo e espírito.
Um novo sopro de vida.
Ontem, dei uma palestra na faculdade para alunos de pedagogia sobre Machado de Assis, e convidei minha amada para me prestigiar. E ela foi. (Imagine meu contentamento).
Ao explicar que Machado foi o marco entre o romantismo e o realismo, disse que no romantismo predominava o amor – e que eu, morreria por amor. (Olhei na direção dela) e a turma sorriu.
E ali, nessa atitude tão simples e cheia de boas esperanças, pude ressurgir...
Um abraço, Inês.

Du Santana disse...

Todo dia agente morre pq sempre é preciso renascer!

:*

rosasiventos disse...

vou agora ali num instante que morro crente que o maior amor é uma vez dois e, por outro lado, bem maior que dois e sempre, afinal, sempre rio virgem, mas enquanto de abraço nem sombra vou ali e volto ou volto que nem que não volte logo se não verá.



beijo

GUILHERME PIÃO disse...

A vida é assim mesmo, muitas mortes e ressurreições...ehehe...mas no final é divertido e tudo dá certo.
Abraços

Ricardo Jung disse...

é... Saturno é foda!

lua prateada disse...

Oi to passando e ...sim morremos muitas vezes (sem morrer) o bom de tudo isso é k ao renascer já temos mais experiencia de vida.
Beijinho prateado com carinho

SOL

Jardineiro de Plantão disse...

São grandes as batalhas da vida... por vontade própria por vezes ... apetece mesmo, estar quietinho no canto, sem mexer mesmo.

Abraços

Ariana disse...

Ainda bem q a gente renasce sempree!

Lindo post!

Beijo

Menina Bonita. disse...

Sabe quando você lê algo e pensa "Queria ter escrito isso,é exatamente o que acontece comigo" ?


Pois bem,Queria ter escrito isso,é exatamente o que acontece comigo!

Confissões de Um Ego disse...

Passando pra agradecer o carinho e deixar um beijo doce....

Milla disse...

Mais um texto da Eliza Lucinda que mais parece um parque de diversão... Me divirto, fico de boca aberta, sinto até fio na barriga... Perfeito!!!

Bjs!!

Ana Monteiro disse...

Adoreii !

Sem dúvida, morremos imensas vezes... às vezes, até sabe bem.

:'$

Thiago disse...

com certeza, há sempre vida após qualquer coisa.

Bill Stein Husenbar disse...

Morrer para renascer.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Beto disse...

ARRRASOU NO POEMA!!! EU TAVA MEIO SUMIDO E NÃO PODIA PERDER A OPORTUNIDADE DE VIR AQUI!!!
EU TÔ FICANDO CRAQUE EM MORRER E RESSUCITAR!!!
UM MEGA ULTRA BEIJO!!!


.

Iana disse...

"Amigos são como flores,
e flores devem ser cultivadas com carinho e dedicação, para que possamos colher seu perfume em todas as estações."

Se um dia precisares de mim...
Mande-me um recado...Pelo vento ou
pelo tempo...Pela Lua ou pelo Sol..
Pela chuva ou a brisa do mar...
Não importa o lugar...
Eu estarei pronta a te ajudar...


Beijos doces e obrigada pelos desejos de melhoras (Eu cá vou tentando levar a vida, mas não esta sendo nada fácil) :( beijos e beijos

Iana!!!

Beautiful Stranger disse...

esse 'post' parece ter sido escrito para mim; as palavras me fizeram refletir e perceber que talvez eu tambem esteja ficando 'craque' nessas coisas; precisamos de força, muita força mesmo e sabedoria...

;)
http://strangerbeautiful.blogspot.com/

Multiolhares disse...

Dizem que no caminho interior devemos morrer
Momento a momento, que só matando os egos, podemos nos tornar melhores
Quem sabe que sem saberes estas travando esse caminho

beijinhos

Caroline disse...

Haa, que coisa sincera, assim de cara lavada, que coisa bonita.

Vou ler mais essa moça...

Um beijo!!

Pelos caminhos da vida. disse...

Um fim de semana iluminado amiga.

beijooo.

Bill Stein Husenbar disse...

Sei que venho atrasado mas...

http://img152.imageshack.us/my.php?image=selohs3.jpg

É para si!

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

JIME disse...

Olá,
Deixei uns selinhos para você no meu blog.
Tenha um ótimo fim de semana.
Beijos com carinho.

Bill Stein Husenbar disse...

As melhoras querida Inês.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com

Pelos caminhos da vida. disse...

Ganhei vários selinhos e,hoje começei a repassar pra vcs.
Respeito as pessoas que não gostam,mas assim como mereci,meus amigos tb merecem.

O seu está lá te esperando.

beijooo

Three Love´s disse...

kd você?!...

b.e.i.j.o.s. de saudades!

Baby disse...

Excelente poema, interessante, diferente, que nos toca pela simplicidade e franqueza que encerra.
Parabéns pela escolha.
Beijinhos.

lua prateada disse...

Na verdade é na escuridão que encontramos a luz,porque é quando estamos a sofrer que essa Luz está mais próxima de nós...
Beijinho prateado
SOL

João da Silva disse...

Inês(quecível), querida, que saudade de você! Saudade de vir aqui, ler essas delícias que você traz para nós, como se fossem o vinho da Toscana em cristais Suíços, ou Belgas...
Eis aí o "smasara" da vida. É necessário, sim, a gente aprender a morrer e, feito a fênix, renascer das próprias cinzas. Descreio da morte - credo quia absurdum. A vida é imperecível, a meu ver.
Delícia de blog, delícia de Rios, delícia de você, delícia de revê-la - quem dera poder abraçá-la, carinhoso e amigo, por muito tempo.
Beijos, linda, beijos!

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Elisa é linda!
Elisa é um luxo!
Elisa é maravilhosa!
Maravilhosamente Elisa!!!

Beijos e borboleteios, Inês!

p.s: há algo para ti em meu blog!

«« ڱemöґïvö »» disse...

shoooooooow!!!
Como sempre arrazando com estes vversos e imagens
Por quantas vezes fiquei "morrida"? ixi... árias vezes... mas um dia temos que voltar a viver.
Beijos saudades

Ray

Cor de Rosa e Carvão disse...

Inês!!! Que lindo esse texto da Elisa. Ah, eu escreve com essa sensibilidade do cotidiano, da realidade, do sentimento e de sensações sem ser melodramático. Adorei, adorei, adorei.

Bjocas

"Sofi@" disse...

Se morremos muitas vezes duramte a vida, é porque isso faz parte dela, e dela também faz parte o desaparecer repentino da nossa força de viver, que faz com que haja momentos maus no qual nós só pensamos desistir.
Beijo



"Sofi@"

Véu de Maya disse...

que belo humor num texto tão desconecertante e original...muito bom gosto ao publicá-lo...

mimos

Marcella disse...

Muito bom o texto! Realmente é necessário sumir de cena em certos momentos...
bjs!

Boa Noite Cinderela disse...

Eu adoro Elisa Lucinda, simples e de fácil trato.
Beijo.

Késia Maximiano disse...

E q bom q tens o dom de ressucitar...

Márcia(clarinha) disse...

Semana de luz minha flor querida,
beijos

Avid disse...

Belo. Imagem e poema. Renascimentos (necessarios)
Bjs meus

TCHI de Tchivinguiro disse...

A vida também é um morrer devagar.

della-porther disse...

Rios


Agora, vejo-te.

Beijos


Della

alice disse...

ho usato una tua immagine per un mio scritto... mi puoi perdonare?! ma sono così belle le tue immagini che non posso fare a meno di ammirarle

Juani lopes disse...

aunque la vida es a veces muy cruel, no apoyo la postura tan derrotista de este poema, aunque me gusto
saluditos

Nênê disse...

Oi Inês!
Já tas boa da gripe?
Eu cá ainda não completamente!
Vai passando lá no blog...
Beijo e se ainda não tás boa as rápidas melhoras!

jacker disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.