6 de novembro de 2013

Talvez

Marília Campos

Talvez
Sim, dizias tu, mas em seguida
corrigiste: talvez. Esta
é a única palavra
que não tem casa. Que mora
no intervalo
entre o som e o silêncio.

Albano Martins

Palinódias, Palimpsestos

Deixai-me limpo
 O ar dos quartos 
E liso
 O branco das paredes
Deixai-me com as coisas 
Fundadas no silêncio.
Instantes


4 comentários:

Adri Aleixo disse...


Que bom que agora podemos comentar!
Sempre que venho aqui, saio inspiradíssima!

Beijo,querida.

Dois Rios disse...

Ahhh... nem reparei, Adri! Foi por mero descuido, rs. Mas já valeu pelo seu comentário. Beijo.

la librairie disse...

ai que delicia voltar aqui,
as vezes dói, mas as vezes é muiiiito bom sentir saudade.

Estou com a Adri, saio daqui também sempre inspiradíssimo.

bjos
Carlos

Dois Rios disse...


Dor e saudade são ótimos ingredientes para os poetas, Carlos.

Obrigada pela sua visita.

Beijos,