25 de fevereiro de 2010

Só uma palavra me devora
















Indecisa e ardente, algo ainda não é flor em mim.
Não estou perdida, estou entre o vento e o olvido.
Quero conhecer a minha nudez e ser o azul da presença.
Não sou a destruição cega nem a esperança impossível.

Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.

António Ramos Rosa
Uma voz na pedra


Imagem: Kim M. Koza/Corbis


46 comentários:

Cor de Rosa e Carvão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cor de Rosa e Carvão disse...

Oi riacho. Que profundo... Mas, talvez, eu também esteja esperando pelo mesmo. Um beijo e bom final de semana.

Hod disse...

Incita a saudade que movimenta-se no tempo e aporta nas docas do coração.

bom final de semana Inês com muitas bençãos,

Contente por sua visita e sentimentos que deixastes lé em minhas atmosferas.

Hod.

Lis. disse...

Olá Inês...

Esse texto que escolheste lembrou-me da Simone (a cantora). Ela era dona de um barzinho, no bairro do Estoril na cidade de São Bernardo do Campo de nome Arcos.

Certa vez fui convidado a conhecer esse barzinho por amigos. Na época eu era noivo de uma garota da cidade de Santo André.

Fomos conhecer o local composto de vários ambientes, onde havia um restaurante, um jardim de inverno e uma discoteca.

Conheci a Simone lá, e lembro-me que na época tive alguns desentendimentos com minha noiva por causa da Simone.

O interessante é que na época ela não era tão famosa, e tampouco o Milton Nascimento que circulava muito naquele lugar.

Eu acredito que tenho um jeito próprio meu de ser "meio" desatento no que tange so sexo oposto. Um certo ar que contagia sendo eu mesmo e feliz.

Talvez também porque tinha aulas de Jazz na academia, e dançava muito bem, a ponto das pessoas abrirem roda no meio do salão.

Foram alguns momentos bons.
E ficou depois uma canção...

Jura Secreta
Simone
Composição: Sueli Costa e Abel Silva
Só uma coisa me entristece
O beijo de amor que não roubei
A jura secreta que não fiz
A briga de amor que não causei
Nada do que posso me alucina
Tanto quanto o que não fiz
Nada do que eu quero me suprime
De que por não saber ainda não quis
Só uma palavra me devora
Aquela que meu coração não diz
Só o que me cega, o que me faz infeliz
É o brilho do olhar que não sofri


O interessante é que ela (como a grande maioria das mulheres) ainda hoje busca realizações no campo afetivo.

PoesiaMGD disse...

Gostei da selecção de citações aqui apresentadas. Muito.

Bom fim-de-semana.

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

PoesiaMGD disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Malu disse...

Inês, obrigada por teres ido até meu canto.
Vim dizer-te que sinto muito, fiquei sabendo porque alguém me enviou mail comunicando do ocorrido.
Ele está muito além... n'algum pedaço de paraíso se assim for merecido.
Tanto a Vida quanto a Morte são escolas.
Beijinhos em teu coração.

Lis. disse...

É...

"Ninguém pode fugir ao amor e à morte"

Públio Siro.

Thiago Ya'agob disse...

Inês, minha amiga intensamente querida,
Estou aqui escrevendo emocionado com esse texto que publicastes aqui no - DOIS RIOS.
Obrigado por essa oferta – Só uma palavra me devora - muito me falou, muito me tocou.

Deixo Clarice falando sobre A PALAVRA – e aproveito para lhe desejar um ótimo final de semana.
...
“É que agora sinto necessidade de palavras - e é novo para mim o que escrevo porque minha verdadeira palavra foi até agora intocada. A palavra é a minha quarta dimensão.” (Clarice in Água Viva)

Gaby Soncini disse...

Belas palavras *.*

Grande Beijo.

Duarte disse...

Bonita composição!

O poema cheira a Rosa o que faz perceber boas sintonias.

Abraço-te

Multiolhares disse...

E por vezes basta mesmo só uma palavra para fazer quebrar mesmo um coração fechado seja pelo silencio, dor ou medo.

Dil Santos disse...

Oi Inês, minha querida amiga, como está?
Menina, lindíssimo como sempre. o título me lembrou uma música da Zélia Duca, q ñ lembro o nome, kkkkk, mas lembro um pedcinho
"Só uma palavra me devora, aquela que meu coração não diz", rs
Não sei se tem a ver, ma ... kkkkkkkk
Ai menina, q bom q gostou
Bjão
:)

Dil Santos disse...

Nossa que rapidez, rsrsrs
Eu sou super expontâneo mesmo, as vezes me entrega, dá nem pra desfarçar kkkkkkkk
Então, é ela mesma, deu um branco, ela é lindíssima, forte.
Ai menina, estou ótimo, mais apaixonado do que nunca. Hj cheguei a compôr uma música, ficou até legal, rsrs
Bjo amiga
:)

Vieira Calado disse...

Quem sabe, sabe...

Boa escolha!

Saudações poéticas.

Pelos caminhos da vida. disse...

Lindas palavras.

Fim de semana de luz amiga.

beijooo.

Sonia Schmorantz disse...

Que lindas estas palavras!
beijo menina, ótimo fim de semana

Caroline. disse...

Lindas palavras³
Ahazou \o/
Beijão =*

Caroline. disse...

Lindas palavras³
Ahazou \o/
Beijão =*

sonho disse...

E quando essa palavra chegar...tomam se decisões...:)
Bom fim de semana
Beijo d'anjo

El Monti disse...

Lindo poema de Ramos Rosa
Excelente escolha a sua.

Estes versos fazm-me vir à lembrança muitas outras palavras que me devoram
Se me é permitido direi que a palavra que mais me devora é

INFIDELIDADE

A palavra em si nem é feia mas
o (a)autor(a) da infidelidade é sujo(a) e feio(a) sem sentimentos, abjecto e para ele só existe uma pessoa (ele(a) próprio(a).
É necessariamente vaidoso(a), egoista e amoral.

Não se assuste com as voltas que o mundo dá.
Ninguém gosta de ser apenas umas poucas de migalhas do amor de outra pessoa

Um bom fim de semana para si com os desejos de muita saúde e felicidade

Canteiro Pessoal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canteiro Pessoal disse...

Dois Rios,

faz um tempinho que tenho enamorado seu espaço e lido-te em silêncio. Silêncio que muito anda falando comigo. Os escritos exprimidos por ti possuem muita intencionalidade, confesso que ando como nunca com os meus olhos voltados para textos direcionados ao setor de minha atuação diária-educação especial, não que é desgostoso, mas no sutil estou deixando de ladinho livros surrealistas e poéticos. Bem, fantástico o aguçar que promove e digo: conhecer nossa nudez requer muita coragem, pois o nosso estado nu é sobremodo aterrorizante, este que revela o quão podre somos em vida e o quanto precisamos estar no degrau da metamorfose.

Paz,

Priscila Cáliga

Alice disse...

Olá Inês!

' Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.'

Muito profundo isso, bonito.

Fiquei feliz de te ver por meus lados, obrigada pelas palavras!

Beijo

Eduardo disse...

É sempre bom lê-la pois escolha temas profundos e belos.

Estes versos de Ramos Rosa são uma mensagem de esperança neste nosso mundo conturbado

Sabrina disse...

lindo demais! Amei

Liz disse...

Frágil estado de ser e sentir!
A mágica palavra, o mágico momento que tanto almejamos... a grande iluminação.

Um beijo Inês. Ótimo fim de semana.

Shakti disse...

Belas frases , como sempre Inês !!!

bj

Daniel Hiver disse...

Oi Inês, não achei o que você disse cruel. Apenas falou a verdade. Também tenho essa sensação. Que nas horas de apatia, de "falta de fôlego", a minha poesia desliza com muito maior facilidade. É sim o suor ( talvez a lágrima ) do cansaço. Obrigado pelas palavras diretas e cheias de sutileza e verdade!
O poema acima fala de algo que ainda não é flor. Eu poderia te dizer de flores em mim que perderam o perfume e murcharam. E fechado que estou em mim, estou aberto para que as palavras "jorrem".
Beijo!

poetaeusou . . . disse...

*
devoro tudo,
de A. R. Rosa,
,
parabens,
,
conchinhas,
,
*

Fumaça Subindo disse...

incrivelmente todos esperam por coisa que tu espera.. um dia quem sabe nos conseguiremos

Primeira Pessoa disse...

inês,
tava com saudade de te ler.
beijo grande do
roberto.

UIFPW08 disse...

http://www.youtube.com/watch?v=_7q0skpXPIs
...
Maurizio

João Videira Santos disse...

António Ramos Rosa...um poeta português contemporaneo, não acessível a toda a gente. Parabéns pela escolha!

Martinha disse...

Só uma palavra me devora o pensamento perante este excerto: óptimo! :)
Gostei mesmo!

Beijinho Inês *

Ane disse...

Uma palavra pode salvar ou destruir...
Um beijo e boa semana pra vc!

A.S. disse...

Inês... Ramos Rosa é um duende que vagueia entre as palavras, deslumbrando os nossos sentidos!

Belissimo!

Beijos
AL

mar salgado disse...

"...ser aberto por uma palavra"
Quantas vezes isso acontece!?
Quanto poder numa palavra...

Magna Santos disse...

Tão lindo que a gente fica meio muda...porque esta voz cala.
Vejo que você busca a poesia essencial, aquela que só encontramos quando fechamos os olhos.
Olho pro lado direito e vejo tanta gente falando sobre poesia...sempre falamos(coincidentemente, também fiz isto no meu penúltimo post), mas parece que no silêncio a encontramos mais rápido.
Abraço.
Magna

Rouxinol disse...

Nossa!!! Que coisa linda....mais sensível, será?
Uma ótima semana pra vc linda!
Beijosss no coração!!

a magia da noite disse...

há palavras que fazem magia, despertam, até a alma mais adormecida.

Hod disse...

Oii Inês, passando para perabenizá-lo pelo niver dessa cidade maravilhosa, sempre linda e cheia de encantos mil...

Beijos amiga,

Hod.

EDUARDO POISL disse...

Estou feliz por ter completando as MIL postagem no blogger UMA PAGINA PARA DOIS.
Vim agradecer por você fazer parte dele com o seu carinho.

Abraços, te desejo uma linda semana

Thiago Ya'agob disse...

Inês – volvi a este escrito, às águas que emanam dele.

Estou me sentindo um pouco vulnerável, franzino – propenso ao choro. O clima úmido e chuvoso que está sobre São Paulo pairou sobre minha alma nesse início de semana.

Recorri ao texto de António, me fez bem.

Obrigado.

Barbara disse...

Você mesma o faz e com excelência.

JIME disse...

Magnífico!!!
Beijos.