8 de setembro de 2010

Apenas um nome



















Vês como fico pequena quando escrevo para ti?
É por isso que nunca poderia ser poeta.
O poeta se engrandece perante a ausência,
como se a ausência fosse o seu altar,
e ele ficasse maior que a palavra.
No meu caso, não, a ausência me deixa
submersa, sem acesso a mim.
Este é o meu conflito: quando estás
não existo, ignorada.
Quando não estás, me desconheço,
ignorante. Eu só sou na tua presença.
E só me tenho na tua ausência.
Agora, eu sei. Sou apenas um nome.
Um nome que não se acende senão
em tua boca...

Mia Couto
 
Jesusalém
 

Nosso céu, onde estrelas cantavam,
de repente ficou mudo.

Haroldo Barbosa e Luiz Reis


no 8 de setembro


32 comentários:

wcastanheira disse...

O q escrever? Lindo, extraordinariamente lindo seu post, um mimo, sou um coroa romantico, estas coisas marcam, calam, falam a alma, bela sua visita lá em casa, adorie, pra vc minha linda bjos, bjos e bjosssssssssssssssss

Sonhadora disse...

Minha querida
Adoro Mia Couto e este poema é maravilhoso.
Estou comemorando 1 ano de blogue.

Beijinhos
Sonhadora

Fé Fraga disse...

Meu Deus que coisa mais linda!
Esse texto dessa escritora é maravilhoso.
Perfeito!
Fé Fraga.
http://mefaltaumpedacoteu.blogspot.com

Braulio Pereira disse...

agradeço seu carinho

voce me motiva me dá animo
para seguir escrevendo .

gostei deste belo poema de Mia

beijos fraternos!!

orvalho do ceu disse...

Olá,
Retirei algo lindo:
"Eu só sou na tua presença"... é assim que me sinto... e... na sua Presença perfeitamnte feliz!
Abraços fraternos com votos de paz interior.

Rosinha disse...

suspirei...

lindissimo.


xero de rosa na sua alma

sonho disse...

Basta um nome...uma presença...e sai um belo poema....:)
Beijo d'anjo

Duarte disse...

Quero-te ouvir proferir o meu nome...

Abraço-te desde a emoção

Graça disse...

Olá, Inês!

Muito grata pela sua visita, vc é muito querida, pois a conheci e aprendi a amá-la através do nosso inesquecível Hod.

Aliás, a homenagem que fiz a ele foi pequena, há muito mais que dizer dele, apesar de eu tb não o ter conhecido pessoalmente, embora quando ele esteve aqui em Minas ele me avisou, só que não pude estar com eles lá em B.H.

Meu esposo está trabalhando em um grande Projeto governamental e ia justamente convidá-lo para fazer parte do nosso quadro de nossas equipes, pois ele era um grande profissional de marketing, como vc deve saber.

E, justamente no dia de sua passagem para outras atmosferas, no mesmo dia (!) ele tinha marcado comigo para compormos o nosso duplix!

E por aí vai, amiga. Cada um que passou pela sua vida tem uma história maravilhosa para contar.

Todos nós vamos sentir muito a falta dele...e eu não o tenho mais para criticar meus Botões de Madrepérola, o que ele fazia com tanto desvelo e fraternidade!!!

Enfim, como afirmei, quero ver se dou seguimento no Projeto Educacional que ele tanto idealizou e me passou as diretrizes!

Quanto a sua escolha, sou suspeita para falar, amiga,eu amo Mia Couto! Parabéns.

E vamos seguindo, Inês, COM NOSSA DOR, sentindo a falta de nosso amigo, mas com a mesma alegria e generosidade que ele nos passava!

Beijos,

P.S. Desculpe o meu desabafo sim? mas eu precisava falar um pouco. Sentia que ele te amava e te considerava muito!

Graça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
UIFPW08 disse...

A escolha da poesia é um prazer para a alma que lê-lo
Obrigado Inês
um beijo
Morris

neli araujo disse...

Inês querida,

Apenas um nome...mas que diz muito!

Que lindo poema do Mia Couto!

Tudo o que ele escreve é belo!

beijinhos saudosos,

neli

MLiz disse...

Conheço este autor pelas tuas postagens. Identifico-me muitíssimo com o conteúdo de seus escritos e você a algum tempo tem me feito conhecer um pouco destes belos textos.
Muito me sei nas frases de Mia.

Obrigado por compartilhar de teus textos-momentos. São sempre intensas e belas tuas postagens.

Um beijo querida Inês!
Liz

Barbara disse...

Que jeito corajoso de confessar a pertença...

JULIANA PAEZ disse...

Impecável minha amiga!

A ausência nos inspira, mesmo não nos engrandecendo.

Você selecionou as melhor palavras!!

Adorei passar pelo seu cantinho, sempre tão especial.

Bjokas da JU

Lis. disse...

Bom dia Inês.

Existe uma curiosidade que posso enxergar sobre os poetas. Eles sim colocam-se nos referidos altares, mas para livrarem-se das dores.

Digo-o porque, meu avô paterno, Alvaro de Aguiar Lisboa, era um poeta conhecido no Rio Grande do Sul, e era um homem atado a uma cadeira de rodas, vitima das feridas da guerra.

Será que há alguém
que passa pela vida
sem devidas feridas?

Há de se pensar que para tudo paga-se um preço, seja para nascer, seja para morrer.

Eu penso que amenizo isso, olhando para o mar. Sempre "presente" nos bons momentos que podemos ter, e que os momentos ruins fiquem somente no acaso.

Boa semana pra ti querida Inês.

Lis.

Lis. disse...

Bom dia Inês.

Existe uma curiosidade que posso enxergar sobre os poetas. Eles sim colocam-se nos referidos altares, mas para livrarem-se das dores.

Digo-o porque, meu avô paterno, Alvaro de Aguiar Lisboa, era um poeta conhecido no Rio Grande do Sul, e era um homem atado a uma cadeira de rodas, vitima das feridas da guerra.

Será que há alguém
que passa pela vida
sem devidas feridas?

Há de se pensar que para tudo paga-se um preço, seja para nascer, seja para morrer.

Eu penso que amenizo isso, olhando para o mar. Sempre "presente" nos bons momentos que podemos ter, e que os momentos ruins fiquem somente no acaso.

Boa semana pra ti querida Inês.

Lis.

A.S. disse...

Belo este poema do Mia Couto!
És alguém onde em ti permanece incólume a sensualidade, o desejo, o amor! Sabes que só assim a vida tem sentido... Gosto!!!


BjO´ss
AL

Obtuso disse...

Mais um poema bonito e muito em sintonia com a ilustração escolhida.

Bjs

Graça disse...

Oi, amiga!

Vi seu comentário no Anjo perguntando sobre o que aconteceu ao Hod. Pelo que soube, através de amigos comuns dos blogs, ele faleceu de parada cardíaca.

Ainda tenho outra postagem sobre ele, vai ser difícil deixar de lembrar essa pessoa tão amorosa e querida que foi de todos nós!!

Beijos!

Pelos caminhos da vida. disse...

Esse é um dos poemas mais lindos que já li até hoje, obrigada pela partilha e por estar comigo Pelos Caminhos da Vida.

Fim de semana excelente pra vc amiga.

beijooo.

Susaninha disse...

LINDO , LINDO , LINDO...
SUUUUrrisinhos:)

OutrosEncantos disse...

Poema maravilhoso, Inês!

Repara só:

"Quando não estás, me desconheço,
ignorante. Eu só sou na tua presença.
E só me tenho na tua ausência.
Agora eu sei. Sou apenas um nome.
Um nome que não se acende senão
em tua boca..."

Poema lindo.
Beijos.

Ariana disse...

Que poema maravilhoso!
Quase sempre se tem alguém que nós inspire a escrever ne!



Beijos e bom fim de semana!

Baby disse...

Mia Couto é feito de sensibilidade, a sua prosa, os seus poemas têm o dom de nos perturbar e apaziguar simultâneamente.

Um beijo para ti.

Eu sei que vou te amar disse...

Maravilhoso!! Quanta verdade nestes versos que mergulham em nos! Ser ausente, quando o calor nao emana em nos!!
Mia Couto é um escritor excelente
Beijo minha linda

Insana disse...

Lindo porma.

bjs
Insana

Secreta disse...

Encantadora , esta tua escolha.

Magna Santos disse...

Misericórdia, Inês! Que palavras lindas e tão plenas...pulsantes.
Essas palavras, pescadora, me deixaram sem.
Amanhã publicarei algo antigo, mas talvez diga também um pouco desse querer-se inteiro pelo outro.
Beijão.
Magna

Pétala disse...

"A ausência me deixa sem acesso a mim".

Só quem a sente pode entender o quão verdadeiro são esses belos e doídos versos.

Mia Couto se seupera a cada livro. Maravilhoso, poeta!

Bj.
Mel

poetaeusou . . . disse...

*
ai, a ausência,
é a presença da saudade !
,
brisas suaves,
ficam,
,
*

Soraya Azevinho disse...

oh!
mia couto é único de tão simples!