5 de setembro de 2008

Sempre resta algo a dizer



















Ainda te falta
dizer isto: que nem tudo
o que veio
chegou por acaso. Que há
flores que de ti
dependem, que foste
tu que deixaste
algumas lâmpadas
acesas. Que há
na brancura
do papel alguns
sinais de tinta
indecifráveis. E
que esse
é apenas
um dos capítulos
do livro
em que tudo
se lê e nada
está escrito
.

Albano Martins
Escrito a Vermelho

Imagem: Microzoa/ImageBank


45 comentários:

paula barros disse...

Algumas histórias ainda podem ser escritas, outras infelizmente não.
abraços

Maldito disse...

surpreendente...

Nanda Assis disse...

a gota que faltava, pra mim nesta triste noite, foi este poema causador de lágrimas de desabafo.
bjossss...

Sammyra Santana disse...

vou mandar esse poema pra uma pessoinha ali...
Vai cair como uma luva!
Beijo bem grande, Inêsita!

~pi disse...

( nada é acaso

podemos é não poder

? ou desejar ver

o sentido profundo das coisas...




beijo ~




luci

Milla disse...

Perfeito...!
Dispensa comentários...

Bjs!

Mello disse...

Olá Inês,

Mais uma vez, trazes um lindo poema, sei que estou a ficar repetitiva, mas é verdade...

Quanto ao poema pareceu-me que era de esperança, que nem tudo está acabado que a vida dá muita volta e que as pessoas podem reencontrar-se e afinar os ponteiros, ou seja, conversar e entender-se...

Oxalá que isso aconteça...

Afinal os mal-entendidos… são a pior coisa, são nocivos à saúde.

Beijinhos,

Graça Mello

Thiago Ya'agob disse...

Inês, princesa.
Na 5a pela manhã conversei com uma pessoa que não quero mais falar a respeito, ela me felicitou da forma dela e a entendi. E por entendê-la darei mais valor aos meus sentimentos em relação a mim mesmo. Amarei a mim. (Preciso).

Fiquei envolto de amigos o tempo todo, tanto fisicamente quanto /"interneticamente"/ e /"coraçãocamente"/. Na faculdade, para minha surpresa, o pessoal se reuniu e compraram um presente para mim.Cantaram parabéns, e eu fiquei MUITO emocionado pelo carinho que eles demonstraram por mim em tão pouco tempo. (Estou no 2º semestre).

Minha professora de espanhol me deu um CD todinho en Español e deixou eu assinar a lista e vir embora na última aula. Meus avós me buscaram na facul e ganhei a presença da minha família me esperando para jantar: Lasanha, arroz, "bife a rolê" (acho que é assim que se escreve), um delicioso bolo de chocolate e muitos abraços e amor - Que é o mais importante.

Ainda ontem, cantaram parabéns novamente para mim na aula de sintaxe e eu pude ver que sou amado. Estou contentíssimo comigo mesmo. E como já havia dito outrora, o inverno ficará no inverno. Hoje já é primavera.

Um grande beijo, minha estimada amiga.



(Volto depois para ler e comentar seu post).

Márcia(clarinha) disse...

Não precisamos de letras para ler sentimentos.
Que lindo!

feliz sábado flor
beijos

Shadow disse...

Olá!

Sei que me estou a repetir, mas as tuas escolhas são sempre fantásticas.

Bjs,
Shadow

Zek disse...

Algumas historias vividas outras ditas e outras escritas, e infelizmetne algumas perdidas...

Ana disse...

Nada chega por acaso. Nem um amor assim.
Um poema belo de um poeta que aprecio muito.
Um beijo, Inês.

Jardineiro de Plantão disse...

Livro assim é como gota de orvalho... Não encharca, mas faz renascer.

Bom fim de semana.

Abraços

tossan disse...

Belíssimo post, poesia e Blog fico sem mais palavras no momento, mas vou voltar sempre. 1 abraço

in natura disse...

Vc escreve muito bem e os cliks mais ainda valeu a minha visita. Beijos

Confissões de Um Ego disse...

Oi nem sei se vai gostar mas passa no meu blog tem um "meme" pra vc...pra poder te conhecer melhor e assim que responder me avisa....
Bjksss

Avid disse...

Nao conhecia. Gostei.
Bjs meus

Assim que sou disse...

Temos páginas tão desesperadas e intensamente escritas sem histórias prá contar. E páginas em branco, a lembrar-nos do que não escrevemos, mas que ali estão. Impressas em nossos rastros e pegadas. Nossas lágrimas e sinais. Nossa ausência e saudade.

Lendo o poema tive vontade de dizer isso.

beijo grande. Veronica

mdsol disse...

Linda Inês:
Pois é: o que "ainda-não" somos pode sempre ser de muitas maneiras. E, temos uma palavra a dizer no assunto. Este post remete-me para a esperança que depende da nossa acção. Muito bom!
Beijinhos do lado de cá, cheio de saudades do lado de lá, como coloquei no post intitulado "saudades de quem não vou ver em Setembro" lá no branco no branco.

Tiago Soarez disse...

Inês,

Infelizmente não sei quem canta a música, mas vou me informar e te digo, ok?

Beijos e obrigado pelo carinho!

Fernando Rodrigues disse...

Perfeito...

bjus
Fernando

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá Inês!

Esse cantinho é muito especial,lindas palavras.

beijooo.

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Esse texto fez tão bem ao meu
domingo...
Obrigada, InÊs!

beijos e borboleteios!

NOCTURNO disse...

Naquilo que não escrevo
vive um belo segredo
porque afinal há palavras
que fazem todo o sentido.


Beijo

Victor Oliveira Mateus disse...

Albano Martins, um grande poeta, um exímio tradutor, um amigo e um crítico de uma frontalidade exemplar... sei-o por experiência
própria! Louva o que é para louvar,
aponta o menos bem quando também
acha que o deve fazer, isto é,
estamos frente a um grande poeta e
a uma grande honestidade intelectu-
al. Coisa rara nos dias de hoje...
Um beijo, Inês.

Raquel disse...

Porque sempre fica algo por dizer!
Adorei seu blog!
Beijos
http://sex-appeal.zip.net
http://cara-nova.zip.net

Ariana disse...

Perfeito d+!=)

Beijo

intimidades disse...

Lindissimo

Jokas

Paula

Cláudia disse...

É tão bom visitar-te e ler coisas tão lindas...

Seu blog é lindo.

Bjo, Cláudia

Ane disse...

Passando pra fazer a viagem nas palavras e versos e desejando uma semana perfeita pra vc!

Carol disse...

Tem selinho pra ti lá no Blog!
;***

O Profeta disse...

Tanto sentir em tão poucas palavras...


Doce beijo

"O Autor", disse...

Vida e Poesia; seu nome e sobrenome.

D. disse...

Dizer será o poder?

D.

Papoila disse...

O livro que continuamos sempre a escrever ...dia a dia ... minuto a minuto.

beijo
BF

Momentos disse...

Há folhas arrancadas...
Antes de serem lidas...
Não houve compreensão...
Não desenrolou a história!

Lindo poema!
Bjus!

Beatriz Vieira disse...

Tanto a dizer, a viver...
Tanto a ser sentido mas não quero e nunca será dito!


abraços
Beatriz

Cadinho RoCo disse...

Por vezes fica difícil decifrar a caligrafia da saudade.
Cadinho RoCo

João da Silva disse...

Coisa mais linda, Inês(quecível)... seu espacinho é um oásis em que me deleito, após a tórrida caminhada pelo deserto.
E não é que me fez lembrar do "maktub", de Santo Agostinho, de Santo Tomás, da vida enquanto a vivemos, de Michel Onfray, de Cristopher Hitchens, do haver e do não haver, do crer e do não crer, do ser e do não ser, ao mesmo tempo? Bem, acima de tudo, fez-me ver que a poesia é um dos caminhos da beleza, e a beleza é um dos atributos do mundo, que às vezes parece insólito e sáfaro, mas nos acolhe, como você, aqui, tão lindamente nos acolhe.
Beijos carinhosos!

Su disse...

gosteiiiiiiiiiiiiiii

jocas maradas ...sempre

Monique Lôbo disse...

Sempre resta algo a dizer!
Lindo poema!!!!!Lindíssimo!!!!
Adorei!!
Tem selinho pra vc la no blog!!!
Bjusss

Nina disse...

Belíssimo texto!!!

Sabe... tem algumas palavras que nunca foram escritas para não cometermos a indelicadeza de usarmos sem termos o direito de fazê-lo.

beijos!!!

«« ڱemöґïvö »» disse...

=O Essas entrelinhas que dizem tudo... esse subconciente que tanto me enobrece!! ah.. isso sim é viver! hahah As vezes não falo coisa com coisa, mas os textos que vc posta me deixam tão filósofa, tão boquiaberta... eas fotos... simplesmente, magníficas!!

Do Jeito Que Eu Sou disse...

oi querida Ines.
estou retornando aos poucos minha querida amiga. obrigada pela preocupaçao e pelo carinho deixado la no "do jeito que eu sou"
sabe aquela dor de concha extraviada? pois é, a dor de um pedacinho que nao voltara para dentro de mim ta me maltratando ainda...meu poema "vida" restava algo a dizer para ser completado, algo que no momento nao faz mais diferença alguma ja que a vidinha que surgia em meu ventre matou-me a poesia, os sonhos e a inspiraçao para o retoro ao blog.
vou tentar me recompor, vou voltando aos poucos...nao vou te deixar, estarei aqui lendo, comentando, so nao quero postar por enquanto.
obrigada mais uma vez pelo carinho Ines, infelizmente a boa noticia que eu teria no retorno de repente torna-se a pior que tenho a contar dos ultimos acontecimentos que vivi.
grande beijo com o carinho e a admiraçao especial de sempre

googler disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.