17 de maio de 2010

Única paisagem












 
 









Agora há uma dor que pousa nas palavras.
Não as digas – um nome basta para
dividir o coração. Se me esqueceste entre
um livro e outro, finge que não sei; despede-te
de mim como uma lâmpada antiga, deixa que
a tua sombra seja a minha única paisagem.

Maria do Rosário Pedreira
Nenhum Nome Depois.


Imagem: Lieutenant Tibs

38 comentários:

On The Rocks disse...

a sombra da ausência é cruel.

bj

Sammyra Santana disse...

nossa, mas a vida é bem assim, cheia d eluzes e sombras...
lembrei agora do Mito da Caverna de Platão... seria melhor vivermos apenas diante das sombras?
ainda prefiro a dor ofuscante da luz...
Beijo beeeeeeeeeeem grande, querida!

Lis. disse...

São palavras muito fortes viver de algum tipo de esperança remota. Bom mesmo é apreciar a luz natural que ilumina o dia.

Pois, de tristeza o mundo está cheio.

Bjo.

Sonia Schmorantz disse...

Um poema de abandono mas tão lindo!
Esta imagem é perfeita para transmitir este sentimento.
beijos, otima semana

Magna Santos disse...

Ai, que dor esta, Inês! Quem já não a sentiu?
Sim, "um nome basta para dividir o coração"...e esse nome é 'adeus', porque ficamos com a sensação de que ele não bate mais no nosso peito, embora bata. Tem também outra palavra: saudade, travestida de sombra, ao menos se veste assim, enquanto os olhos estão ofuscados pela dor. Mas, passa, como passa!
Beijo.
Magna

Isadora disse...

Oi Inês as palavras colocadas aqui são fortes de fato e viver e sentir ainda que a ausência é duro demais.
Um beijo

Obtuso disse...

"... dor que pousa nas palavras..."
Obrigado Inês pelos belos poemas e maravilhosas imagens com que nos presenteia.

A.S. disse...

Inês...

Deixa que o sol afaste todas as sombras! Sentirás renascer o brilho nos teus olhos...


Beijosss
AL

Shakti disse...

Sentido...forte...mas com esperança que o Sol mude a posição e afaste a sombra...
bj

UIFPW08 disse...

Come un raggio di sole cosi il tuo sorriso. chi non potra mai dimanticarsene
se non l'amore
Bejos meus
Morris

neli araujo disse...

Oi, Inês!

Como escreve bem, Maria do Rosário Pedreira! Ótima escolha!

Só achei muito triste...não quero esta paisagem para mim...

beijinhos, linda!

Neli

im disse...

Será que a sombra da ausencia vale a pena? Não sei...

Beijinhos

Baby disse...

Lindíssimo poema, triste como qualquer despedida, mas muito intenso.
Um beijo.

Dil Santos disse...

Oi Inês, tudo bem?
Menina, me senti abandonado gora, rsrsrs
Lindo e triste né? Mas infelizmente a maioria de nós passamos por isso.
Ai menina, nem m fala, eu fiquei imensamente aliviado e agradecido a Deus por isso.
Obrigado pelas orações, que Deus possa te cobrir de Graças.
Um bjo minha querida
:D

Cadinho RoCo disse...

Na despedida, instante delicado.
Cadinho RoCo

Duarte disse...

O mau é quando essa sombra se alonga, no espaço e no tempo...

Para poder fazer compreender, por estas latitudes, o que significa para nós a saudade, pois nunca encontrei nenhum significado, fiz o seguinte exposição:
É a presença na ausência... está mas não se pode tocar...

Vai ao encontro da sombra, não deixes que se alongue.

Um chi coração e uma meiguice

Lis. disse...

Olá querida Inês.

Fico lisonjeado por saber do seu gosto pelas minhas análises e interpretações feitas aqui. Procuro não ser repetitivo nas minhas colocações, porque acredito que o nosso pensar exercita-se através da criatividade.

Marcar em cima dos lances também é bem legal, e nesse sentido procuro fazer diferença nas coisas boas que posso estar apresentando.

E considerando que a maior de todas as metamorfoses é indubitavelmente as colocações que a própria vida nos trás, e que também as tem apresentado.


Em todo caso tem sido sempre um grande prazer comentar nestes seus encantadores dois rios que correm juntos para o mar de todos nós.

Grato pelo carinho.

Lis.

André Sá disse...

As palavras só são fortes quando o nosso espírito assim quer...

Por isso são mágicas! Porque elas podem ser tudo o que quisermos...

Basta desejar. =))

Bjinho*

Perla disse...

Quando a dor pousa nas palavras, e entre um livro e outro se esquece o melhor poema, só a sombra é ponto de passagem.

Gostei muito desta leitura!

Bjs

Luciano disse...

Belo e intenso como deve ser.
Legal por aqui.
Abraço de arte, menina escritora.

poeta do inverno. disse...

tenho te acompanhado em teus fragmentos e teus passos me passam um profundo saber, dois rios, um será passagem e o outro?
não me peças respostas...
querida ines a ausencia é talvez o momento em que o amor mais se revela, amamos sempre o que é ausente.

todosossentidos disse...

Olá...

Passando pra deixar um abração!!


Neo
Todos os Sentidos

Lyra "Daiane" Líbero disse...

belo texto... adorei seu cantinho! voltarei! beijos =*

poetaeusou . . . disse...

*
um livro,
de fingidas letras !
,
conchinhas,deixo,
,
*

saudade disse...

Enquanto tiveres essa sombra como paisagem, não vais esquecer, as lampadas antigas deitam-se fora, um amor que partiu também, outras vão aparecer e preencher essa ausencia....
Saudade

[ rod ] ® disse...

Não conhecia e gostei! Sendo a sombra viva que ela seja tão próxima quanto minha imaginação permitir.

Um bj moça.

Mysterious Ways disse...

paisagem essa que machuca o peito ...

Caroline. disse...

Nossa de todos os textos que vc postou esse foi que mais mexeu comigo "/ Lindo e dolorido ao mesmo tempo...
BEijão =*

Zana disse...

Tudo sempre maravilhoso por aqui...
Beijo

"Explicaçào da ausencia

Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou
Não rodou mais para a festa não irrompeu
Em labareda ou nuvem no coração de ninguém.
A mudança fez-se vazio repetido
E o a vir a mesma afirmação da falta.
Depois o tempo nunca mais se abeirou da promessa
Nem se cumpriu
E a espera é não acontecer — fosse abertura —
E a saudade é tudo ser igual."

Daniel Faria

Secreta disse...

Ser ... seja o que for, desde que nos mostre que foi/é real.
Beijito.

sonho disse...

A sombra é a prova que um dia existiu...ou...existe...
Beijo d'anjo

Lídia Borges disse...

De como o amor se faz despedida numa paisagem de sombras tristes...

L.B.

*A Menina dos Olhos* disse...

Adorei esse canto... Estava eu a caminhar e não sei como vim parar aqui, só sei que sempre voltarei!!!!

Alberto Marques disse...

Tenho extrema dificuldade de lidar com os fluxos da vida. Devido a imensidão de pontos, vivemos assim. Horas escolhendo, outras sendo escolhidos. Com o passar dos tempo, novas escolhas são feitas e outras são relegadas. Desejos e seus reflexos, nada mais.

Gaby Soncini disse...

Ausência sempre dói.
Sempre me apego demais e sempre aparecem sombras.

Lindo, triste e intenso.

Grande beijo.

me, myself and I disse...

E há sombras que nos fazem tanta falta...!

beijo, Inês.

Luiz Caio disse...

Oi Inês, como vai?

Pior que a própria perda,é o momento em que temos que aceitá-la!

TENHA UMA LINDA NOITE!

Beijos

MARNUNEFREI disse...

This will astonish you!
It`s in the interest of as all!

ZEITGEIST: ADDENDUM

Money as debt


Technological breakthrough


HydrogenCar

Electrolyzed water

Soladey eco

Bio washball

Solar Air Conditioning

AMAZING!!

OZONATED WATER: CURE ANYTHING!

http://www.stoptherobbery.com/

Projecto Alexandra Solnado

Conversations with God website

Conversations with God

Zero Point Energy Wand

Project Camelot

Monatomic Gold

Dangerous to your health!

EXITOTOXINS

Monosodium glutamate (MSG)
Aluninum
Aspartame
Mercury


IMPORTANT TO WATCH

Flouride in water
Flouride Alert