3 de junho de 2011

Um oráculo





De tal modo é, que eu jamais negá-lo poderia: sou agarrada na saia da poesia! Para dar um passeio que seja, uma viagem de carro, avião ou trem, à montanha, à praia, ao campo, uma ida a um consultório com qualquer possibilidade, ínfima que seja, de espera, passo logo a mão nela pra sair. É um Quintana, uma Adélia, uma Cecília, um Pessoa ou qualquer outro a quem eu ame me unir. Porque sou humano e creio no divino da palavra, pra mim é um oráculo a poesia! É meu tarô, meu baralho, meu tricot, meu i ching, meu dicionário, meu cristal clarividente, meus búzios, meu copo d'água, meu conselho, meu colo de avô, a explicação ambulante para tudo o que pulsa e arde. A poesia é síntese filosófica, fonte de sabedoria, e bíblia dos que, como eu, crêem na eternidade do verbo, na ressurreição da tarde e na vida bela. Amém!

Elisa Lucinda
Credo


Amigos,
O blog continuará a ser atualizado, porém os comentários
ficarão desativados por um certo período.


Google Imagens
(desconheço a autoria)


4 comentários:

leaf disse...

Este texto é perfeito. Amo poesia.

E o teu blog foi, é e continuará a ser um porto seguro onde encontro palavras que dizem tanto sempre.

Beijinhos

Duarte disse...

Durante os anos que estive ligado ao mundo editorial, comprovei que a poesia é a menina pobre da literatura. O pouco espaço disponível, no fundo editorial, era exclusivamente para os consagrados.
Uma boa iniciativa,,, este campo aberto.
Abraço-te desde a emoção que me deixaste

Poesias Partidas disse...

Texto lindíssimo, a poesia nos preenche, é o que a nossa juventude precisa para acalmar a alma e gerar apenas coisas belas ao coração. Um dia a poesia, quem sabe, inundará a terra.

Abraços.

Só pra você disse...

E me fascíno com teu encanto...
Teu texto está muito bonito, a poesia estimula a alma. MUito bom.
Parabéns!

Beijocas