25 de janeiro de 2010

Rios de lembranças



 










Hoje estou melancólica e suspirosa...
choveu muito, e a água
invadiu este porão de lembranças,
bóiam na enxurrada a caminho do rio.
Deixo que naveguem, pois não as perderei.
O rio é dentro de mim.



Filandras

35 comentários:

Juliana Paez disse...

Nossa amiga, que poema mais lindo!!

Sutil em sua simplicidade, mas tão cheio de emoção.

Maravilhoso!!

Bjokas da JU

Multiolhares disse...

Lindo o teu poema apesar de muito triste também, deixa esse rio deslizar até ao mar.
beijinhos

Shakti disse...

A tristeza acompanha sempre o estado de tempo...ou será o contrário ?!?!!?

bj

Liz disse...

Este rio corre mim e as águas quase me impedem a respiração. Me desaguo neste rio de recordações...

Cara Inês, somos tão iguais no quesito 'sentir'.

A rosa: a perfeição, a delicadeza, o amor... tudo o que há em nós e nem sempre conseguimos expressar...

Obrigada por se mostrar presente.

Beijo

Juliana Lira disse...

Eu endosso essa belissimas palavras da Adelia, porque sinto-me assim também...

Belo


Milhões de beijos

FOTOS-SUSY disse...

OLA INES, BELISSIMO POEMA...LINDAS PALAVRAS AS DE ADELIA PRADO...GOSTEI IMENSO...QUE TENHAS UMA OPTIMA SEMANA!!!
BEIJOS COM AMIZADE,


SUSY

UIFPW08 disse...

Passo a lasciarti un sorriso, un po di me che tra le stelle da te non c'e.
Maurizio

Dauri Batisti disse...

O rio é dentro, o rio é fora, o rio somos. Vamos para, vamos indo, vamos

Beijo

Everton disse...

A palavra rio sempre me chamou a atenção e a sua representação na minha vida mais que a carregada tríade gráfica, ele me carrega como as horas. Ele carrega tudo que pensa nele descansar. Ele é vida, é mágico, ele se faz e faz ao mesmo tempo quem dele bebe algo que nem é bom e nem é ruim, mas é tão equilíbrio quanto o próprio triangulo, quanto à própria água cristalina.

Sonia Schmorantz disse...

Linda escolha, um rio de lembranças vive dentro de nós, desperta a qualquer momento...
beijos

Lis. disse...

Bom dia Inês.

Certamente que não há melhor rio correndo dentro de cada um de nós do que o rio da sabedoria. Rios de auto-conhecimento que desaguam nos seus mares interligando o nosso mundo (interior e exterior) unificando-o de forma coeza como um todo.

A sabedoria associada com a verdade possui o poder de libertar-nos do que é pequeno ampliando-nos à mente para um universo ainda maior, mais rico e mais abundante.

Beijos à ti querida Inês.

im disse...

É impossivel controlar as marés desse rio que nos habita!

Bonito poema!

Beijos

Caroline. disse...

Nossa hoje eu tô igual esse poema "/
Beijão =*

[ rod ] ® disse...

Cheiro de chuva contando em evaporação as saudades do tempo ante inerte a poeira da lembrança. Bjs moça!

neli araujo disse...

Inês querida,

Que poema mais lindo. Eu adoro Adélia Prado, mas não conhecia este
poema!

Ai, o nosso rio interior...possui muitas lembranças boiando na enxurrada...
O duro é quando elas ficam presas em algum bueiro entupido da nossa alma...

Gostei muito da imagem que você escolheu também!

beijoooo,

Neli

poetaeusou . . . disse...

*
muito belo,
,
da tua convidada,
a chuva fez-se prata,
em lembranças mareantes,
,
conchinhas,
,
*

Hod disse...

Esse Janeiro que fez o Rio transbordar em calor e líquidos, traz em Inês tão suave brisa.

fostes com tuas palavras e sentimentos tão gentil que a fragrância permeou minhas atmosferas.

Beijo grande Inês com muitas bençãos!!

Hod.

Graça disse...

Inês,

estou muito grata pela tua visita em meu Anjo de Prata...

Volte sempre que quiser e puder, minha querida! Amo compartilhar meus simples conhecimentos adquiridos!!!

Um beijo.

Graça

Duarte disse...

É dentro que se afogam as penas...

Beijinhos, meus

UIFPW08 disse...

http://www.youtube.com/watch?v=7MKeMNrARKQ
per te..

Adesso è facile..

Dil Santos disse...

Oi Inês, tudo bem?
Belíssima escolha como sempre, porém eu achei triste, mas belo.
Então menina, o amor é uma ótima inspiração, mesmo sendo amores alheios ele inspira.

Bjo
:)

ONG ALERTA disse...

Faz parte de nossa vida dias de sol onde podemos buscar energia para armazenar e sobreviver a dias de muita chuva, lembranças, saudades...paz.
Sempre depois da chuva vem a calmaria...

Rosinha disse...

Linda poesia de mestre Adélia.

Xero, bela Inês.

IOLY disse...

Nossa Inês, lindo poema, e "bem haver" com seu blog né?

Beijos querida.
Obrigada por estar sempre presente lá.
Só não venho mais aqui, pq o tempo é curto.

EDUARDO POISL disse...

Hoje vim aqui agradecer pelas lindas palavras e carinho comigo nos teus comentários.
Obrigado do fundo do meu coração.

" Depois de algum tempo você aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e o que importa não é o que você tem na vida,mas quem você tem na vida."
- W. Shakespeare

Abraços com todo meu carinho

a magia da noite disse...

às vezes o nosso rio transborda e invade-nos de lágrimas.

entremares disse...

Melancólicos e suspirosos.
E qual de nós, uma vez por outra, não se sente assim?
Vemos o rio, sentimos o rio... só não sabemos para onde nos leva...

Tudo de bom para ti,
Rolando

~pi disse...

por dentro sempre:

o rio o riso e as cores

[ a lama uterina,





beijo, inês-rio





~

João Videira Santos disse...

Lindo!...E assim se dá voz aos sentimentos em palavras breves e fluídas...

Thiago Ya'agob disse...

Inês... conheci Adélia em dezembro, através de um grande amigo meu. São lindos seus poemas. Gosto muito desse que você citou - mas o que mais me agradou em sua escita foi o poema Órfã na Janela, onde ela diz que está com saudades de Deus e quer um poster dele em seu quarto. Lindo, lindo, lindo.

Já que estás a escrever sobre água, sobre rios, deixarei uma frase clariceana:

E eu também me dispo no mar. (Clarice - Um sopro de vida)

Um grande beijo, minha querida amiga.

A.S. disse...

Inês...

Nos rios de água corrente
que passam nas tuas veias
entre ti e a nascente
as marés vão sempre cheias!...


Beijossss
AL

Secreta disse...

Rio que nos consome.

Jéll C. disse...

Lindo poema. Triste, mais bonito, cheio de emoção.
;**

Pelos caminhos da vida. disse...

Desejo que em sua vida...

Não exista cara feia,
Não exista bolso furado,
Não exista tempo apressado,
Muito menos grãos de areia.
Não exista tempo fechado,
Não exista problema dobrado,
Não exista sonho frustrado,
Muito menos amor acabado.
Não exista amigo esquecido,
Não exista negócio falido,
Não exista boato mexido,
Muito menos dinheiro sumido.
Não exista tempo nublado,
Não exista ambiente abafado,
Não exista corpo dobrado,
Muito menos bom senso abalado.
Não exista mágoa engolida,
Não exista emoção reprimida,
Não exista alma sofrida,
Muito menos felicidade perdida...
Só desejo que você seja feliz!!!

(Desconheço o autor).

beijooo.

Martinha disse...

Pela descrição do tempo que faz esse texto, fez-me lembrar o quanto tem chovido cá em Cádiz. O Inverno faz-se sentir, e só hoje é que a chuva deu tréguas.
Gostei do texto :)
Beijinho Inês *