14 de janeiro de 2010

Voar não dói














 





Voar com a asa ferida?
Abram alas quando eu falo.
Que mais que eu fiz na vida?

Fiz, pequeno, quando o tempo
estava todo ao meu lado
e o que se chama passado,
passatempo, pesadelo,
só me existia nos livros.

Fiz, depois, dono de mim,
quando tive que escolher
entre um abismo, o começo,
e essa história sem fim.

Asa ferida, asa ferida,
meu espaço, meu herói.
A asa arde.

Voar, isso não dói.



Paulo Leminski

Asas e Azares


28 comentários:

A.S. disse...

Querida Inês...

Todos temos asas, mas apenas muito poucos ousam ensaiar um voo!!!
Uma asa ferida não irá impedir-te que voes... para além do infinito!

Secreta disse...

Voar não doi, o que doi por vezes, é ganhar forças para voar.

Marina disse...

Ferida ou não, voar é preciso.

Um amigo me fez fã de Leminski. Belíssimo exemplar de sua obra.

Multiolhares disse...

Precisamos voar, mesmo que a asa se encontre ferida, um dia vai estar curada,e a vida é assim começar e recomeçar
beijinhos

Fla, disse...

Olá,
Gostei muito do teu blog, de como expressas o que sentes. Abraço!

IOLY disse...

Com a asa ferida, após a recuperação o voo será maior e, também, mais sábio.

Abraços, ótimo finalzinho de semana.

Martinha disse...

Não dói nada :) É como sonhar, e
é tão bom... :)
Tens selinhos para ti no mar ;)
Beijinho *

Nina disse...

Lindo texto, um deleite para os olhos e coração. bjs!

André Sá disse...

Apenas pelo título gostaria do poema.

"Voar não dói" faz-te logo pensar em sonho e no quanto o sonho, a ambição... podem fazer bem a alguém.

Muito bom.

=)

Jéll C. disse...

Liberte-se sempre. Voar não dói... Os ventos as vezes podem até nos empurrar para direções contrárias, mas assim como a decepção, isso nos ensina a viver.
Boa noite ;**

Shakti disse...

Belo voo !!!

bj

sonho disse...

Voar não dói...o que doí são por vezes as quedas que se dão...mas o importante é nunca desistir...e voltar sempre a tentar...
Beijo d'anjo

Dil Santos disse...

Oi Inês querid, como está?
Voar realmente não, melhor ainda quando o voou é feito a 2, rsrs.
Saudades querida
Bjo
:)

Pelos caminhos da vida. disse...

Viver é ter chance de acreditar que
a cada dia podemos fazer mais coisas que imaginávamos.
É acalentar sonhos e esperanças, fazendo da fé, a nossa inspiração maior.
É buscar nos pequenas coisas, um grande motivo pra ser feliz.

(tirado da net).

Fim de semana de luz.

beijooo.

Lis. disse...

Como tens passado Inês?

Foi lendo o que postaste que lembrei-me de uma inscrição que li no muro de uma delegacia no Rio de Janeiro:

"QUANDO O IDEAL É MAIOR QUE A VIDA VALE A PENA DAR A VIDA PELO IDEAL".

Com essas palavras quero-lhe dizer que eu as vezes não consigo ter contato com a dor por estar olhando algo que pode ser fascinante adiante...

Talvez seja isso: Alcançar metas para ter-se um ideal realizado, passar as vezes até pelas dores de um passado buscado em lugares errados para se encontrar a felicidade que tanto almejamos.

Realizações abundantes à ti.
E há-mar em palavras...

Dauri Batisti disse...

Que poema lindo, Meu Deus!

Ganhei o dia.

Um beijo.

A.S. disse...

Inês, vim ler-te, reler-te... e deixar um beijo!

AL

˙·٠•● ѕεறிoτιvo ◦ disse...

Ah... voar... Um sonho de infância, de adolecência e com certeza continuará sendo o da velhice.

Fugir dos problemas? Não não, seria apenas o recarregar das minhas baterias.;D
Linda imagem.

Doce beijo

Ray

Juliana Paez disse...

Olá minha querida Inês!!!

Passar por aqui me deixa sempre mais leve, ler esse texto então me fez voar como ninguém.

Adorei essa visita!!!

Bjos da JU

Sonia Schmorantz disse...

Maravilhoso Leminski, que ótima escolha!
beijos, ótimo fim de semana

Aurea Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
˙·٠•● ѕεறிoτιvo ◦ disse...

ah Inês, adorei o elgio que fizeste a mim em relação a foto do meu perfil.^^
Obrigada, querida.

Beijo carinhoso

ONG ALERTA disse...

Muito verdade voar e sonhar não doí apenas nos permite desejar mais, viver melhor, paz.

EDUARDO POISL disse...

Há um tempo em que é preciso
abandonar as roupas usadas,
que já têm a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia:
e, se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre,
à margem de nós mesmos

Fernando Pessoa

Te desejo um lindo domingo com muito amor e carinho
Abraços

Do Jeito Que Eu Sou disse...

Minha asa esquerda está ferida. Ainda consigo voar com alguns anjos perdidos no universo, mas não sei se conseguirei ir muito longe. Buscava as distâncias quando minha asa esquerda se feriu. Talvez alguma pedra. Não sei. Talvez uma faca. Também não sei. Caiu-me a asa esquerda sem o movimento necessário para seguir minha viagem. No entanto, tento. Não é simples curar uma asa ferida, especialmente quando ela é invisível. Os anjos perdidos que voam comigo estão tristes. Faz um tempo escuro atrás dos chapéus das pessoas. Atrás dos prédios, Atrás das montanhas. Faz um tempo escuro. Com minha asa ferida, tento ainda voar o possível. Mas é impossível voar sem dor, especialmente quando a asa esquerda se quebrou. Tento ainda adivinhar o amanhecer, como se olhasse para um espelho à minha procura. Isso é tudo.


Lindo Post minha querida Ines, a escolha certa, a imagem perfeita.

com dor ou sem dor, é preciso voar.


bjusss meus com muito carinho
Débora Schuab

Aurea Nunes disse...

Oi, Inês! voltei para corrigir o meu erro. Vivemos voando e, às vezes, Voamos tão alto que não nos damos conta do pouso rs. Este texto me atraiu muito!

Beijos meus p/ ti

Áurea

Hod disse...

Lá no recontido da alma que brilha leve só um impulso é o suficiente. Não voar não dói. Vejo que o permancer uma vida na superficialidade do mundo é que dói.

Querida Inês linda imgem.

Beijos com forte abraço e mutias bençãos!!

Hod.

UIFPW08 disse...

Se eu pudesse congelar o tempo roubar seus sonhos
Se eu pudesse apagar a distância que você vai encontrar Praga, entre suas mãos

Morris