16 de junho de 2008

A urgência do que se foi


















É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade
É urgente o amor


Imagem: Paulo Medeiros/Olhares

7 comentários:

Diva disse...

E urgente viver, reviver, existir, conhecer.
E urgente não esquecer.
E urgente ser diferente.
Bjs meus

Só Eu disse...

Excelente escolha a de Eugenio de Andrade, de muito bom gosto.
Parabens

Ana disse...

O poema de Eugénio de Andrade é, como todos os outros que ele escreveu, lindíssimo.
É urgente não o esquecer.
Um beijo.

Márcia(clarinha) disse...

É urgente
.
.
.
SER

dias lindos flor
beijos

pin gente disse...

é urgentíssimo
amar e permanacer

abraço

TCHI de Tchivinguiro disse...

Urgências já dos nossos antepassados, mas que continuam urgentes hoje.

Dois Rios disse...

Diva,
Viver é urgente. Viver feliz é mais ainda.
Bjs,
----
Só eu e Ana,
O E.de Andrade tem o dom de arrancar as palavras da nossa boca. Os versos dele são a nossa intimidade.
Beijos,
----
Márcia,
É urgente...SER.
Carinhos (de flor),
----
Luisa,
O permanecer é que faz do amor o seu aconchego.
Um beijo,
----
Tchi de tchivinguiro
Urgentes e imprescindíveis. Mais ainda no que diz respeito ao amor.
Beijo,