18 de junho de 2008

Os alicerces do ser

Linda/zefa/Corbis
 

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso.
Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta
nosso edifício inteiro. 



Clarice Lispector
(trecho de uma carta escrita à sua irmã Tânia)
Berna/Suiça - 1947






8 comentários:

João Videira Santos disse...

Que coment�rio poderei deixar se este texto � uma clarissima verdade?

Diva disse...

sabias palavras!!! Grande Clarisse!!!
Bjs meus

lobo! disse...

Realmente... muito nos dizem (constantemente) para corrigirmos os nossos defeitos (todos?!). Mas deixaremos de ser gente... nós próprios. Somos feitos de virtudes e defeitos e muitas vezes uns estão ligados aos outros. Gostei muito do seu blog. Muitas e lindas palavras e imagens... Tentarei aqui vir assiduamente..(E obrigado pela visita.)

Márcia(clarinha) disse...

Clarice minha musamada, sabia tudo e falava.

Que defeitos tenho eu, como sabê-los se me sustentam?
dia lindo, flor
beijos

maria josé quintela disse...

de uma lucidez inquestionável!




beijo.

Sabrina disse...

acredita que acabei de dizer tantas belezas sobre Clarice?
então encontro-a aqui, sempre delicada, sempre profunda, sempre Clarice.
lindo.
um beijo!

Dois Rios disse...

João,
As frases da Clarice quase sempre são inquestionáveis.
Obrigada pela visita.
Beijos,
----
Diva e Marcia
A Clarice encaixava as palavras.
Bj.
----
Maria José,
De fato a frase é de uma lucidez em estado bruto.
Beijos,
----
Sabrina,
Legal! Vc falou tantas belezas e ainda chegou aqui e viu.
Beijo,

Papoila disse...

Esta verdade deixou-me pensativa...
Nós tantas vezes só vemos os defeitos e até eles nalgum momento podem ser peças fundamentais no caracter.

Beijos
BF